Confira abaixo as dicas em um passo a passo sobre a Travessia Petrópolis x Teresópolis, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Saiba mais sobre as suas dificuldades, melhor época para fazer a trilha, distância (KM), contratação de guia, o que levar de equipamentos, como comprar ingressos e muito mais.

A travessia Petrópolis – Teresópolis é uma das melhores e mais bonitas travessias do país, sendo um dos melhores lugares para unir grandes aventuras e fugir do stress do dia a dia.

Definitivamente a Travessia “Petro – Tere”  deve fazer parte do seu currículo de montanhista ou aventureiro!

Para o acesso rápido, clique nos tópicos do índice de conteúdos:

Índice de conteúdo

Um pouco da história do Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Inaugurado em 1939, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO) é o terceiro parque mais antigo do país (Itatiaia em 1937 e Iguaçú, também em 1939, o antecederam).

Cerca de 100 anos antes de sua inauguração, D. Pedro I já havia se aventurado nesta terra.

Esta primeira geração de parques brasileiros reflete a chegada ao Brasil de uma preocupação mundial com a degradação dos ambientes naturais.

Qual a distância (km) da Travessia Petrópolis x Teresópolis

Travessia Petro – Tere

São cerca de 28 km de distância que liga os municípios de Petrópolis a Teresópolis passando pelas cidades de Guapimirim e Magé.

Com muitas subidas e descidas, a travessia possui uma vista privilegiada para a cadeia de montanhas que dá nome ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

O seu percurso é considerado desafiador e digno de uma incrível conquista.

Grau de dificuldade

  • Nível de dificuldade: caminhada pesada superior com trechos técnicos;
  • Altitude máxima: 2.275 m;
  • Desnível máximo: 1.100 m;
  • Distância percorrida: 28 km (com trechos técnicos e escalaminhada).

A Travessia Petrópolis x Teresópolis é um trekking que exige bastante esforço físico e equipamentos adequados.

Em alguns trechos o aventureiro precisa de habilidades para conseguir ultrapassar alguns obstáculos mais exigentes fisicamente, como por exemplo: o mergulho, elevador e cavalinho.

Sugiro contratar um guia ou fazer a travessia com alguém que já conheça bem o seu percurso – Evite curiosos!

Por segurança, baixe o aplicativo GPS Wikiloc e faça download off-line de todo o percurso da Travessia Petrópolis x Teresópolis.

Em 01 dia: como fazer a Travessia Petrópolis x Teresópolis

O aventureiro precisa de um ótimo condicionamento físico, normalmente é realizada por atletas e corredores de montanas.

Em 02 dias: como fazer a Travessia Petrópolis x Teresópolis

Uma boa opção é realizar a Travessia Petrópolis x Teresópolis em dois dias, mas certamente são será tão prazeroso quanto realizar no “clássico três dias”.

01° dia – Travessia Petro x Tere (em 02 dias)

No primeiro dia é realizada a subida até o morro do Açu, local do pernoite na montanha. São aproximadamente 6 a 8 horas de trilha íngreme e uma distância de 8km.

02° dia – Travessia Petro x Tere (em 02 dias)

No segundo dia é realizada a travessia até a Pedra do Sino, ponto culminante da Serra dos Órgãos. Depois a descida até a saída do Parque Nacional em Teresópolis, ponto final do trekking.

Tempo aproximado de 11 à 13 horas de trekking

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Montanha: Trekking e Climb (@vivianctelles) em

Em 03 dias: como fazer a Travessia Petrópolis x Teresópolis

Mapa da Travessia Petrópolis – Teresópolis

A sua trilha é tradicionalmente realizada em três dias, com dois pernoites na montanha: primeira noite no Morro do Açu e a segunda noite na Pedra do Sino.

Qual a melhor época para fazer a Travessia Petrópolis x Teresópolis?

Travessia Petrópolis – Teresópolis em Julho 2018

A melhor época para fazer a Travessia Petrópolis x Teresópolis é no inverno, entre os meses de maio a setembro. Nesta época do ano o tempo é mais estável, clima mais agradável e a visibilidade é melhor.

Vale lembrar que é possível fazer a travessia durante todo o ano, porém no verão o risco de chuvas, tempestades e relâmpagos são maiores.

Aos finais de semana a trilha é mais frequentada, sendo os dias de maiores picos a partir das quintas até segundas-feiras.

Lembre-se de programar a sua aventura com antecedência, principalmente se deseja fazer a travessia durante um feriadão ou nas férias de julho.

Como comprar ingresso para Travessia Petrópolis x Teresópolis?

Se deseja fazer  travessia durante a alta temporada de montanha, que vai de maio  a setembro, é importante comprar os ingressos do parque com até seis meses de antecedência.

No dia da trilha você deve levar o voucher impresso (comprovante de compra) e um documento com o CPF informado na compra. Vale lembrar que os ingressos são pessoais e intransferíveis!

Onde comprar o ingresso

Acesse o site do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Escolha a data de ida, depois clique em “Trilha Desconto Brasil” e siga as instruções de pagamento.

Preço dos ingressos para três dias de travessia

  • Três dias na montanha e dois pernoite em beliche (abrigo)  – Valor R$119,00
  • Três dias na montanha e dois pernoite em bivaque (abrigo) – Valor R$87,00
  • Três dias na montanha e dois pernoite em camping (leve a sua barraca) – R$55.60

A opção de compra do banho quente foi retirada do site, sendo possível efetuar o pagamento na portaria por um custo de R$XXXXX.

Como chegar na entrada do parque em Petrópolis (mapa)?

A entrada do parque é feita pela Sede de Petrópolis, situada na estrada do Bonfim, no bairro de Correias.

Como ir de ônibus?

Saindo de São Paulo e Rio de janeiro tem ônibus direto para a cidade de Petrópolis / RJ.

Do Centro de Petrópolis você pode pegar o ônibus terminal das Corrêas e de lá tem as opções de linhas disponíveis: a linha 611 (Bonfim) a cerca de 1 Km da portaria do parque e a linha 616 (Pinheiral) sendo a melhor opção porque chega mais perto da entrada.

Como ir de táxi ou uber?

Da rodoviária (em Petrópolis) até a entrada do parque são cerca de 40 minutos. Além do mais, se for em grupo o custo pode ser dividido, o que torna essa opção uma das melhores.

Como ir de carro particular?

A sede do parque em Petrópolis não possui estacionamento próprio, mas é possível deixar o carro nos estacionamentos próximos à entrada, pagando um valor de R$10 pela diária.

Como é o resgate (volta) de Teresópolis para a Sede do Parque em Petrópolis?

De ônibus:

Uma das opções é retornar (voltar) de ônibus, para isso você deve andar uns 3,5 km do final da trilha até a portaria do parque, onde tem a opção de pegar um Uber até a rodoviária de Teresópolis e de lá pegar um ônibus para Itaipava.

Dica: nos finais de semanas e feriados tem um transfer do parque de hora em hora que te leva até a portaria.

Outra opção é andar mais 1 km (aproximadamente) da entrada do parque até a Feirinha do Alto e de lá pegar um ônibus para rodoviária de Teresópolis, em seguida pegar outro para Itaipava.

Para embarcar com o mochilão você precisa comprar duas passagens: uma para você e outra para a mochila cargueira (regra da empresa).

Chegando em Itaipava você pode pegar um uber direto para entrada do parque ou dois ônibus: um para Corrêas e outro até a entrada do parque (linha 611 – Bonfim – a cerca de 1 Km da portaria ou linha 616 – Pinheiral – mais próximo da portaria).

De uber ou táxi:

Dentro do parque não pega sinal de celular, por isso você deve solicitar o uber ou taxi da portaria do parque.

O preço do uber varia de R$100 a R$300, isso depende da demanda do aplicativo. Em feriados com datas comemorativas os valores costumam ser mais altos, mas em média custa uns R$150,00 o retorno para o parque em Petrópolis.

No feriado do dia das mães o uber estava cobrando R$300 a viagem até a entrada do parque em Petrópolis, depois de um tempo o valor baixou para R$90  Por Thiago HD

O que levar para Travessia Petrópolis – Teresópolis?

Organizar um chekclist pode ser complexo se você não conhece as principais necessidades e equipamentos que irá utilizar neste trekking. Informações como: o que levar para comer, o que vestir, itens de segurança e etc são essenciais para garantir o seu bem-estar, segurança e o mínimo de conforto.

Por isso eu preparei um checklist completo com todas as informações. Para ver clique em “O que levar para Travessia Petrópolis – Teresópolis“.

01º Dia – Sede do Parque Serra dos Órgãos em Petrópolis x Açu

  • Distância: 7 km / Tempo: 6 a 8 horas

Travessia Petrópolis – Teresópolis / Mirante do Graças a Deus

A caminhada é considerada de nível pesado com muitas subidas, são aproximadamente 7km de extensão e cerca de 1.100m de altitude (entrada do parque), chegando a  2.245m no Morro do Açú. Para vencer este desafio, são cerca de 6 a 8 horas de caminhada com muitas subidas.

Em alguns trechos a trilha é descampada, por isso capriche no protetor solar use boné, e uma boa opção são as blusas tipo dry fit com manga e proteção UV.

01º Parada: bifurcação da cachoeira véu de noiva

Com cerca de 40 minutos de caminhada suave já vemos a bifurcação para cachoeira Véu da Noiva, onde fizemos a primeira parada para um lanche e recarregar as energias.

02º Parada: pedra do queijo

Em meio à mata fechada, subimos por uma trilha íngreme por cerva de 40 minutos até a Pedra do Queijo. Nesta parada, podemos apreciar a vista panorâmica para Vale do Bonfim e os picos da Alcobaça, do Alicate e outras montanhas de Petrópolis.

03º Parada: Ajax (hora do almoço)

Travessia Petrópolis – Teresópolis / Ajax

Após 40 minutos de trilha, chega-se ao Ajax, ponto de abastecimento de água e pausa para o almoço.

Observação: Em algumas épocas do ano este ponto de abastecimento de água pode ficar seco, se informe com o guarda na portaria e se for necessário leve água suficiente para chegar até o morro do Açú.

A pastilha para tratamento de água Clor-In é um item obrigatório na mochila de qualquer aventureiro

04º Parada: Chapadão do Açu

Após o Ajax, começamos a subida da Isabeloca, uma trilha bem íngreme e exposta ao Sol que nos leva até o Chapadão do Açu, ótimo ponto para fotos e um breve e merecido descanso após o trecho mais íngreme de Petrópolis, “subida da Isabeloca”.

Ótimo ponto para fotos: mirante do Graças a Deus

Mais um destaque para o Mirante do Graças a Deus, um dos pontos mais bonitos para fotos, sendo a minha vista preferida durante toda a subida por Petrópolis até o Morro do Açu.

Por fim, já podemos ver o Castelo do Açu, há 2.245 metros, de formação rochosa e o ponto mais alto do dia.

Conforme vamos nos aproximando é possível ver a Pedra da Tartaruga e ao seu lado o abrigo do Açu, local do primeiro noite da Travessia Petrópolis – Teresópolis.

Onde dormir no 01° dia da Travessia Petrópolis x Teresópolis

Pernoite em abrigo

Neste ponto, após horas de muita caminhada, encontramos banho quente (pago na entrada do parque), cozinha e utensílios (fogão, panelas, pratos e talheres) para quem escolheu a opção bivaque ou beliche quando foi comprar o ingresso do parque.

Pernoite em camping

Vale lembrar que se você optou pela compra do camping o seu acesso ao abrigo é apenas para banho quente, caso tenha pago por essa opção na entrada do parque.

Para camping, lembre-se de levar a sua barraca, fogareiro, panelas, talheres e etc. Veja o que levar  para Travessia Petrópolis x Teresópolis.

Para minimizar o peso, alguns guias oferecem pacote completo com aluguel de barraca trekking, saco de dormir, bastão de caminhada, carregadores (ou seja, pessoas para levar a sua mochila ou peso extra) e refeição completa.

Pôr do Sol no morro no cruzeiro

Uma boa dica é  tomar um café (ou chá) e partir para o Pôr do Sol no Morro do Cruzeiro, mas lembre-se de armar a sua barraca antes, afinal, você volta no escuro e a área de camping é super disputada na alta temporada.

Não dá mole nessa, escolha o melhor lugar e monte a sua o quanto antes!

2º Dia: Morro do Açu X Pedra do Sino

  • Distância: 8km / Tempo: 6 a 8 horas

Você pode optar por acordar na madrugada e assistir o Nascer do Sol na Pedra da Tartaruga, bem próximo ao abrigo ou até mesmo da varanda do abrigo é possível ver o Astro Rei.

Nascer do Sol na Pedra da Tartaruga – Morro do Açu

Após um café da manhã reforçado, arrume a sua mochila e “partiu” para o segundo dia da travessia, que em minha opinião é o melhor dia!

Neste trecho é indispensável a presença de guia experiente. É frequente a ocorrência de montanhistas perdidos, principalmente em dias com muita neblina – Fonte: ICMbio

Descendo o morro do Açu em direção a Pedra do Sino, são mais ou menos 30 minutos de caminhada (descida e subida bem íngreme) até ao Morro do Marco.

No Morro do marco é possível pegar uma variante da trilha, saindo da rota por mais ou menos 3h (ida e volta) e conhecer os Portais de Hércules, um dos mirantes mais encantadores do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, com uma bela visão do Vale da Morte e toda a cadeia de montanhas que dá nome ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

O próximo e segundo morro que vamos encarar é o Morro da Luva. Neste trecho descemos descemos até um vale, para logo em seguida subir por cerca de 30 min até o topo do Morro da Luva, neste locar tem uma cachoeirinha (abastecimento de água).

Neste ponto é possível se refrescar para o próximo desafio: o temido elevador.

Primeiro trecho técnico: a subida do elevador

A subida do elevador é uma via ferrata, ou seja, uma trilha aberta na pedra com vergalhões chumbados na rocha. Normalmente o lugar fica úmido e escorregadio. Portanto, cuidado!

Assista do vídeo: Trecho Técnico do Elevador

São cerca de 45 minutos após o grande desafio para chegarmos ao Morro do Dinossauro, e de lá já vemos o Vale das Antas, a Pedra do Sino e a Pedra do Garrafão. Uma das vistas mais bonitas da Travessia Petrópolis – Teresópolis, vale parar para apreciar a paisagem e tirar algumas fotos!

No Vale das Antas, é possível pararmos para relaxar e encarar mais uma subida forte, onde nos leva ao tão esperado Dorso da Baleia, de onde temos uma vista privilegiada para o paredão da Pedra do Sino e Pedra do Garrafão.

Trecho técnico conhecido como mergulho

O trecho conhecido como mergulho é uma descida técnica entre as rochas que sugere atenção, neste ponto é aconselhável utilizar uma corda. Veja mais em equipamento para guias.

Sugiro utilizar a corda para fazer um corrimão e retirar a mochila cargueira para dar mais equilíbrio.

Assista do vídeo: trecho técnico do mergulho

Após o mergulho seguimos por uma subida bem íngreme com destino ao trecho técnico conhecido como cavalinho.

Trecho técnico da subida do cavalinho

Este trecho é considerado o ponto mais temido da Travessia Petrópolis x Teresópolis, sendo ou não necessário equipamentos para ultrapassar (corda, cadeirinha e mosquetões).

Pergunte ao guia sobre os equipamentos e exija que ele leve o básico. Veja aqui os equipamentos para guia.

Na hora faça uma análise de risco com base na sua experiência, cansaço físico e mental, mochila (o peso e tamanho) e principalmente a “sua confiança”.

Trata-se de uma “pedra no meio do caminho”, posicionada em um local exposto e íngreme, onde o aventureiro deve ultrapassar utilizando as mãos e pés.

A maneira mais indicada para vencer este desafio é se apoiar com a perna esquerda e usar a direita para subir, ou se preferir, para “montar na pedra” com o apoio das mãos. Afinal, o nome cavalinho não é à toa, né!

Assista do vídeo: trecho técnico do cavalinho

Depois da adrenalina deste trecho, seguimos por uma trilha estreita que leva até o cume da Pedra do Sino, o ponto mais alto da Serra dos Órgãos, mas sugiro pegar na bifurcação a trilha direto para o Abrigo 4 da Pedra do Sino.

Pô do Sol na Pedra do Sino

Sugiro a subida até a Pedra do Sino na parte da tarde para ver o Pôr do Sol. Curtir o anoitecer do ponto mais alto da Serra dos Órgãos é altamente recomendável, principalmente em noites de tempo bom. A vista da cidade do Rio de Janeiro à noite é impressionante e vale o passeio.

Informações extras:

Percurso do segundo dia: são aproximadamente 8km e 8 horas até o ponto culminante da Serra dos Órgãos, a Pedra do Sino com 2.263m metros de altitude.

Segurança e equipamentos: a travessia possui alguns trechos técnicos, sendo recomendável o uso de equipamentos como corda, cadeirinha e mosquetões.

Trechos técnicos: elevador, mergulho e cavalinho.

3° Dia – Pedra do Sino X Sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Abrigo 4 da Pedra do Sino

A decida é suave em comparação a subida, mas é considerada por muitos a parte mais intensa, principalmente se você tem prolemas nos joelhos. Por isso, os bastões de caminhada são aconselháveis para diminuir o esforço físico causado nas articulações durante uma descida.

Na descida, podemos ver a incrível mata fechada com belas flores e duas cachoeiras, sendo uma delas a Véu da Noiva, com 16 metros de quedas.

Os três dias são de muita superação física e principalmente, psicológica. A força da natureza nos traz diversas lições e aprendizados, além de importante conexão com nossa essência e harmonia em contato com o meio ambiente.

Depois dessa experiência incrível você terá muitas histórias para contar, afinal,  você conheceu a travessia mais bonita do Brasil.

Dicas extras para Travessia Petrópolis x Teresópolis

  • Siga o grupo e o guia;
  • Respeite os horários de silêncio;
  • Traga o seu lixo de volta;
  • Não alimente os animais;
  • Camping somente nos locais permitidos;
  • Preencha os termos de segurança com seu contato em caso de emergência;
  • Não consuma bebidas alcoólicas;
  • Não faça fogueiras, cozinhe nos abrigos ou leve o seu fogareiro.

Galeria de fotos da Travessia Petrópolis – Teresópolis

 Baixe o checklist completo para Travessia Petrópolis – Teresópolis

 

Gostou do conteúdo e as dicas? Então deixe aqui o seu comentário ou sugestão. Ah, não se esqueça de compartilhar este artigo nas suas redes sociais.

Acompanhe o meu Instagram e Youtube.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Montanha: Trekking e Climb (@vivianctelles) em

6 Comments

  • Avatar
    Thiago HD
    Posted 18 de maio de 2019 23:59 0Likes

    Aqui tem tudo que precisamos saber sobre essa travessia, parabéns!

  • Avatar
    Sheila
    Posted 30 de maio de 2019 22:08 0Likes

    Muito legal seu relato! Obrigada por compartilhar sua experiência. Vou fazer a travessia daqui 2 semanas e saber detalhes assim ajuda a diminuir o frio na barriga! 😀

    • Avatar
      Vivian
      Posted 6 de julho de 2019 17:59 0Likes

      Olá Sheila, que bom que gostou e será útil para sua aventura! Qualquer dúvida pode deixar aqui nos comentários 😉 Boa aventura!

  • Avatar
    Felipe Altafim
    Posted 1 de julho de 2019 17:26 0Likes

    Parabéns Vivian pelo relato! Está muito bem escrito, simples, mas com todas as informações necessárias.

    • Avatar
      Vivian
      Posted 6 de julho de 2019 17:56 0Likes

      Que bom que gostou 😉 |Obrigada pela sua mensagem

Deixe seu comentário